terça-feira, 2 de março de 2010

É QUASE PÁSCOA


 Depois de toda a folia do carnaval chegou a Quaresma, há quem pense na quaresma como um tempo triste, sem festas e animação, na verdade não  é bem assim, Quaresma significa quarenta, são os quarenta dias que antecedem a Páscoa. É o caminho a percorrer para a preparação da  páscoa, para a festa da Ressureição de Cristo.

No meu tempo de criança tinhamos uma brincadeira entre amigos em que enganchavamos um dos nossos dedos e diziamos " enganchar,enganchar cada vez que te vir hei-de te mandar rezar" ás vezes passavamos horas a rir porque bastava fecharmos os olhos para mandar-mos o outro rezar,e claro o outro fazia o mesmo e nunca mais tinha fim.

Mas a Páscoa é muito mais que tudo isto, é um momento de reencontro,entre familias, amigos,conhecidos,é o regresso às origens,ao aconchego do lar.

Já falta pouco para a Páscoa, e com ela a primavera


5 comentários:

Bruno Marques disse...

Ainda me ri um pouco sozinho, "enganchar,enganchar cada vez que te vir hei-de te mandar rezar" na minha infância já não existia nada disso, nem sabia de tal coisa. É certo que a importância que davam à religião na tua infância era muito maior, foi-se perdendo a ligação e nas Águas o padre não esteve, nem está à altura para cativar os jovens, os poucos que ainda por lá andam...
É uma boa perspectiva a da fotografia, gostei :)

susana disse...

tambem nao conhecia tal coisa, mas como diz o meu irmao a religiao nas aguas ja nao é a mesma é pena porque fazia coisas porreiras.lembro me quando era as festa da 1 comunhao e profisao de fe quando nos juntavamos todas a tarde na casa megre para lanchar , entre outras coisas que fazia quando era a festa das maes ....enfim

Filha da Terra disse...

Pois é, já nada é o que era, e a nossa diferença de idades nem é assim tão grande, mas há pessoas que certamente se devem lembrar.
E de cantar as alviceras já ouviram falar? também é agora na páscoa.
quanto a essas festas eram realmente muito boas, o problema é que hoje já nem miúdos há, o meu sobrinho ainda não fez a primeira comunhão para não fazer sózinho.

Júlia disse...

Pois é, já nada é o que era, não só me lembro do "enganchar" como me lembro de irem de casa em casa, no dia de Páscoa a dar a cruz a beijar, e de nas casas mais abastadas atirarem rebuçados e amendoas ao ar "rabatina" como lhe chamava-mos, para os miudos que andavam atraz do padre apanharem. por vezes até lhes ponham os pés em cima para que outro não as apanha-se. Pobreza, ainda bem que já não existe, no entanto o convivio, a alegria que se vivia nessas alturas, deixa muitas saudades.
Depois vinha a Sra. do Incenso, a praça ficava cheia de gente á espera da camioneta, (sim, ninguem tinha carro), com os cabazes da merenda,que penduram nas arvores enquanto se assistia á missa,...
Era realmente uma festa.
boas festas

susana disse...

das alviceras nao me lembro .lembro me era de ir cantar as almas a noite tipo as janeiras mas nao era de casa em casa nem era a pedir nada era so para cantar nos balcoes mais altos para toda a gente ouvir.pois essas merendas da sr do incenso deixam saudades ....

Enviar um comentário